terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

O Improvável


Este sofrimento em que te deixo
Sempre que vou a algum lado,
Não entendo, nem me queixo
Parece-me estranho… deslocado…

Essa falta de coragem
De ser feliz
Esse meio termo, esse…
Quase a nós,
Não inspira, aflige,
Ao contrário do que se diz…

Porque os dias onde de ser…
Apenas nublados…
Porque nos ferimos
Apenas aos bocados…

Porque será pecado
Apenas estar demasiado bem comigo?
Não percebo, não entendo, não consigo!

Porque não admites?
Acertamos!
Porque procuras a sombra?
O Improvável aconteceu
Por isso nos amamos.

Tu pensas que és forte
Mas és fraco, impreciso…
Titubeante e louco
A tua bússola perdeu o norte
A dúvida levou-te o juízo
Para ser feliz faltava pouco

Um pouco de esperança,
Um pouco de ternura
Um pouco de luz
Daquela que perdura…
Quando olhares para trás, verás…
Aqui era o improvável
O incerto maravilhoso
O Insustentável!

2 comentários:

LMDP disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui disse...

Continuo a ler-te e a gostar mas sem comentar! Apenas o fiz aqui pelo sorriso que me nasceu ao ler: "improvável"! Improváveis somos todos.

Seguidores