terça-feira, 4 de outubro de 2011

Ando em Viagem


No exílio
Cortada pelo espaço
Devorada pelo tempo,
Vou deixando partes de mim
como pedra em derrocada...

Ando em Viagem,
no caminho vejo com frequência
coisas minhas, pontos de referência
tento uni-los, que façam sentido,
mas são bocados de um eu destruído.

Sonhei uma casa sobre as areias
de telhados de alma e sentimento,
paredes de sólidas ameias
onde pudesse, enfim, descansar

Mas a força falha,
o coração não canta
O vento uiva, enrouquecido,
Sou o trapo esquecido
Que ele leva pelo espaço,
tenho pena, pelo embaraço
Peço desculpa, por existir,
pode ser que no caminho,
encontre forma de sumir!

1 comentário:

LP disse...

Um beijinho ...volta depressa

Seguidores