segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Refúgio


Pedi para ficar
Onde o vento não ousa,
Onde o verde repousa,
Onde o ar acaricia….
Pedi para ficar
Longe do clamor do mar
Num céu de azul sem par
Onde o sol alicia…
E nesta paragem ficarei
Até que seque a semente do medo
Lastro inútil que carrego há anos,
Noite eterna do meu degredo
E nesta paragem ficarei
Até que o verde, faça verde o meu olhar
Até que o silêncio entorne a minha alma
E nela me possa deitar…

3 comentários:

LP1961 disse...

Aqui onde o negro se transforma
Em verde de aurora
No azul da paisagem
Na distância do meu amor
A alma
Essa chora
Por dentro e por fora
Na penumbra do nosso quarto
Padeço por minha culpa

LP1961 disse...

Não quero partir deste mundo

Não quero que o barco se sinta à deriva
Nem dó
Quero penitenciar-me sem me humilhar
De pé
Como militar que sou
Será
Beber contigo um chá
Café
E ambos passearmos com eles
Lado a lado
A vida gira muitas vezes em turbulentos tufões
E por vezes alguns safanões
Nos fazem acordar
Do dormitar que nos encontrávamos
Debaixo do mesmo tecto
Muitas vezes sem afecto
Que voltará
Ao amanhecer
Na luz do escurecer
Não sei para onde vou
A estrada sem fim
O frio que sinto
Ai de mim
Volta
E o sorriso que trazes contigo
Sinto que voltou
Afinal amamo-nos
E eles sentem-se a renascer
Das cinzas que nos fizeram desaparecer
Não sei que fazer sem vocês
Nem durmo
Neste desassossego
Tão perto e tão longe

Maria de Aguiar Marçalo disse...

UM BEIJINHO E A NOSSA BÊNÇÃO. MÃE E AVÓ.

Seguidores