quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Andorinha




16 de Outubro de 2007


Em voou picado eu nunca sei
De que lado está o chão o sol,
Em correria louca ficarei...
Precisão perfeita e não difusa
Que apenas se pode tornar confusa
A quem não sabe na vida mergulhar
A uma velocidade só de destreza
Numa curva perfeita em pleno ar
Um suave devir que é só leveza
Uma solitária força ao respirar
Branca e negra, sou selvagem
Por mim corre sangue de viagem
Atomo fluente... Não tem par

1 comentário:

Luís disse...

Voo picado nas palavras, deslizando muitas vezes no risco de embater. Voo planado quando nos encontramos e deixamos de sofrer. Voo deslizante na suavidade das hora boas. Voo relaxante nos pratos cozinhados no partilhar da mesa.

Seguidores