quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Na Estrada



Afasto-me para assim ver melhor
E ter uma nova perspectiva
Um hiato dá-nos, não a morte,
Mas renova toda a nossa vida!

Quando no dia a dia abafamos
Aqueles nossos pressentimentos,
Então, reduzimos a quase nada
Rumo recto dos nossos pensamentos

A vida precisa de paragem
E, tal como vemos na auto-estrada,
De portagem, sinal de proibido…

De revisão, pontos de viragem
Vão-se ideais na vida apressada…
Paro! E sei o que é permitido!

1 comentário:

Luís disse...

No afastamento existe o lamento
A lágrima que escorrega devagar
Mas pela sua leveza me alimento
Este amor que jamais deixo parar

Seguidores