quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Não

13 de Outubro de 2007

Não,
digo não
a palavras fechadas
a motivos sem razão!
Não,
digo não
à obsessão
que me aflige
ou a qualquer prisão!
Não,
digo não
a direcções determinadas
a rotinas de passagem
Sem amor para dar a mão
Não
digo não
a políticas sem sentido
em que todas as pessoas
são um molhe sem união
Não
digo não
a falta de carinho
ao amor fingido
sem sentido ou coração
Não
digo não
à falta de empatia
à mentirosa simpatia
que nada tem de são
Não
digo não
E com coragem
Volto a trás para afirmar
o que na minha vida não quero!
Com toda a determinação
E quem até mim trouxer
Nem que seja a mais palida imagem
desta posição
responderei temeimosamente
Não, não, não!

1 comentário:

Luís disse...

Sim aos momentos
Sem sofrimentos
Se vão embora
Sim à razão
Sem amarguras
Se fecham em portas
E ...deitam fora

Seguidores