quinta-feira, 18 de setembro de 2008

A Lua






A lua recorta o azul
e deixa ver
As sombras projectadas
do entardecer...

Nesta paz concreta
Imagino o horizonte
em névoas sombrias
para lá do monte...

Depois do calor do dia
o que trago sempre comigo
é esta melancolia
de uma paz sombria
que me faz irmã do vento...

Não um vento apressado
frio ou quente
mas um vento silêncio
que mal se sente

Sonho acordada
Com a branca lua
Mas sou chamada
por alguém, na rua....

1 comentário:

Luís disse...

toc toc chegou o carteiro
que boas novas deve trazer
vou ler as do meu amor primeiro
e de seguida as vou reler

Seguidores