quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Doce Amigo


Estranha história a que te vou contar
De uma borboleta que nasceu crisálida
E nunca, na sua vida, quis mudar…
Olhava para o céu, mas para si dizia
Que era para as estrelas e para as aves
E que ela, pobre de si, pequenina,
Devia ter juízo e por entraves.

Mas lá fora estava toda a sua alma
E da crisálida que fora, uma prisão, uma quimera…
Adormeceu no chão e, por estranho desengano
Acordou renovada em plena Primavera

Mas o destino quis, que desgraça a dela,
Mais uma vez ser mau e brincar consigo
E por detrás do sonho colocou uma janela
Com vista para Ti, meu doce e suave Amigo

2 comentários:

Maria Inês Teixeira de Queiroz Aguiar Marçalo disse...

ESTAVAS REALMENTE INSPIRADA! UM BEIJIHO E PARABÉNS! TUA MUMMY.

Maria Inês Teixeira de Queiroz Aguiar Marçalo disse...

MAIS 5*!!!!!!!!!!!!!!!
JINHOS DA TUA MUMMY.

Seguidores