domingo, 29 de novembro de 2009


Mais uma cena burlesca
do nosso quotidiano...


Caminhava mulher roliça
com seu filho pela mão
já no final do tempo
barriga rente ao chão...

O marido altaneiro
caminhava mais á frente
E, como galo em poleiro
Abria o cortejo imponente!

Então uma luz ilumina
Algo em sua visão
uma bela que caminha
de sandália rente ao chão

Com graça e desenvoltura
no seu andar apressado
ela nem vê quem a olha
no seu vestido plissado

mas ele de olhar quente
mais quente que o sol
percorre todo o seu corpo
e faz um sorriso mole

a mulher vê e acordada
apesar do corpo dormir
não julga a cena apressada
e deixa o tal do marido ir…

É que nem de todo o tempo
Fica o tempo que se tem
Vão passando os dias
E o futuro é mais além…

E o novo filho que mexe
Bem dentro do seu ventre
Mais força dará á Mãe
Que o sustenta e o sente

O filho que a faz tão bela
A mulher roliça agora
Ilumina o dia a Mãe
Mesmo antes da sua hora!

1 comentário:

Maria Inês Teixeira de Queiroz Aguiar Marçalo disse...

Gostei! Sobretudo da parte final. Parabéns e um beijinho da tua mummy.

Seguidores